BlogBlogs.Com.Br

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

O Caso Saramago

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas
É, pá, vamos lá tentar ser sucintos, porque eu tenho mais que fazer e pensar.
Como é típico em Portugal, acorda-se tarde e a más horas. Faz anos que escrevi, e publicamente me pronunciei, sobre Saramago ser um Cancro da Cultura e da Língua Portuguesa. Isso fez correr horas de debate, e o texto passou de mão em mão, por tudo o que era pró e contra, na Associação Portuguesa de Escritores. A coisa, mais ou menos, só me foi comunicada depois, pelo meu caríssimo amigo, José Correia Tavares, que até alinhava, e com paixão, no que eu tinha escrito. Em 92, o texto era um mero esboço. Foi fotocopiado, e passou pelas mãos de toda, ou quase toda, a gente que escrevia em Portugal. O "Laramago" final foi revisto em 1998, quando o pobre diabo recebeu o "Nòbele", e imediatamente me começaram a chover telefonemas em casa, para quererem saber o que eu pensava. O problema é que eu não pensava nada, nem o assunto sequer me interessava.
O chamado "Nobel da Literatura" deixou de fora alguns dos meus escritores favoritos, como Proust, Joyce, Kafka, Borges ou Ezra Pound, só para citar alguns, de cor. Em contrapartida, e justamente, foi atribuído a Thomas Mann, a Otavio Paz, que também traduzi para Português, e, o ano passado, a Le Clézio, um ESCRITOR. Afora isso, está cheio de sombras e de solavancos políticos, como uns gajos do Quénia, ou lá o que é, e mais umas geografias da conveniência, situadas pelo Oriente.
Por um silogismo simples, ao terminar o séc. XX, havia uma lacuna no Nobel, que era nunca ter atribuído o galardão a uma Literatura extensa, rica e nobre, como a Portuguesa.
Também é líquido que, quando as cabeças do Comité começaram a girar às voltas, para ver se havia algum Português que sobressaísse, o que estava mais a jeito era o que manipulada, e habilmente, tinha sido "colocado a jeito", cum caraças, obra de uma formiguinha badalhoca, com metástases em Portugal e España, e cuja especialidade era o "marketing". Parece que é uma Pilar não sei das quantas, que se não deve ter casado com o velho, por acaso... Na Escandávia, e isso já entra na "petite histoire", havia um ativista do "Partido", como há muitos por todo o lado, que sacou o coelho da cartola, e o milagre fez-se.
Literariamente, Saramago não vale um corno, e a máquina que o alçou é duvidosa, se bem que eficaz: pareceu dar-nos um balão de oxigénio, mas não deu nada, porque concedeu visibilidade a um mau escritor e a um péssimo caráter.
Se, de aqui a 100 anos, se fizer o levantamento da construção da Língua -- isso é uma das tarefas do ESCRITOR -- devida a Saramago, a resposta é ZERO. Não há uma única ideia, uma frase memorável, um aforismo que possamos contar aos vindouros. Aquilo é mau, mal escrito, e serve, como máquina de fabricar chouriços, só para enriquecer uma editora e o próprio. A esta hora, o Bom Comunista, se ao menos isso ele ainda tivesse em si, já devia ter transformado os lucros fenomenais numa Fundação de diminuição das Assimetrias Sociais, mas a tartaruga analfabeta prefere refugiar-se em Lanzarote, a fazer o papel da alma incompreendida e exilada.
Seja ateu, mas conceda aos outros o direito de acreditar, e esta é a frase de um não-cristão, eu.
Isto parece não ter nada a ver com o sucedido, mas tem. Ao contrário de Saramago, de quem folheei uma vez um livro, só para ter a certeza de aquilo era uma MERDA, gosto imenso da Bíblia, um texto onde há um gajo extraordinário, muito moderno na irreverência e na consensualidade, no vive e deixa viver, no não censures naquilo em que podes ser censurado, e que preferia, como eu, os amigos à família. Estou a falar do "Novo Testamento". Olhando para trás, e para a frente, a linguagem bíblica, cheia de metáforas, de construções hiperbólicas e de imagens inesquecíveis (O "Apocalipse", que ilustrei, e prefaciei -- coisa difícil... -- num mau momento, e a pedido do Assírio, então muito doente, mas, felizmente, já recuperado), ao contrário de Saramago, de quem nunca li, nem lerei, uma linha, influenciou-me fortemente na escrita: deu-me um caráter messiânico e um estilo de abismo, entre o profético e o embalador. Devo-lhe muito, a esse livro, semigrosso, que anda espalhado, entre o meu chão e a cabeceira. Nunca lá vi maus exemplos. Como os textos egípcios, os mesopotâmicos, o maravilhoso "Gilgamesh", que também ilustrei e prefaciei, a Bíblia está cheia de situações ameaçadoras, mas... obsoletas. Em lugar nenhum desse livro está escrito "guarda os cabedais da tua usura, e os direitos de autor da tua prosa intragável, para pôr isso em juros a render, para as "lingeries" da Maria del Pilar", e a puta que a pariu... Não manda matar o próximo, nem exilar para a Sibéria, como os catecismos em que esse cúmplice silencioso da morte, chamado Saramago, alinhou, sem nunca se ter retractado. Esse Saramago é o mesmo que, em 75, saneava, com palavras apocalípticas e anátemas do Deus do Velho Testamento, os colegas de trabalho, que não comungavam dessa mesma cartilha. É o mesmo que esteve calado sob todos os crimes cometidos pela União Soviética e acha que em Cuba se vive "normalmente".
Vá viver para lá, e deixe os Cubanos refugiarem-se em Lanzarote.
Tudo isto deu polémica, e levou a que eu abandonasse a Direção da Associação Portuguesa de Escritores, por dizer, como hoje, e sempre, todas estas coisas que as pessoas têm MEDO de dizer.
Em Portugal continua a viver-se no MEDO, de verbalizar, escrever e pronunciar publicamente o que se pensa.
Em 90, pus a cabeça no cepo, quando, com Mário Soares a declarar -- podem procurar no "RTP-Memória", que talvez lá esteja -- que, parafraseio" "Portugal vivia um dos seus momentos de maior criatividade literária", e apanhou comigo em cima, a desancar, em diferido, mas televisivamente, que o Grande Prémio de Literatura da Associação Portuguesa de Escritores era uma jigajoga, que dava, todos os anos, uma batelada de dinheiro a um, ou uma, que ainda não tinha tido direito à fatia (!).
Não era Literatura, era esmola rodada, e quem apanhou com isto em cima, em direto, na RTP, foi um tal de Paulo Castilho, mais um dos tais que vai acabar na poeira e no esquecimento, e que não se sabia onde se haveria de meter, quando levou com o meu depoimento em cima...
Na mesma época, já pontificava a Clara Pinto-Correia, outra miséria do cenário nacional, com o seu "Adeus, Princesa", uma bosta, cheia de erros frásicos de construção, a contar umas fodas que ela dava, em Beja, com os militares alemães, que deviam achar gira a pele tisnada, coisa que eu nunca li, mas que foi Livro do Dia CRÓNICO na Feira do Livro, durante ANOS, até a mulher se perder no álcool (E esta é dedicada a um dos nossos mais assíduos leitores, que bem sabe quanto custa acompanhar a Vice-Reitora nas suas curas de desintoxicação. Um abraço para ele, e um pontapé na cona, para ela...). Mas o pior ainda estava para vir, o Sousa Tavares e os seus plágios, que muita gente também considerou "Literatura", a Inês Pedrosa, meu deus, o meu amigo Pedro Paixão, que sabe que eu não o leio, e a quem aconselhei fazer o Doutoramento com a ligeireza com que... não escrevia.
As voltas que Pessoa e Eça haveriam de dar na campa, ao ver no que esta choldra se tornou, mas isto já vai longo e finaliza com um pequeno conselho para esse traste do Saramago: "amigo", você, que acha a Bíblia um lugar de maus caminhos, faça-me um exercício: reduza a sua escrita, que é fraca, vá lá, mesmo fraquinha, e, enquanto reduz a sua fraca escritinha, olhe mais para os lírios do campo, e menos para o seu milionário saldo bancário. Todos nós agradecemos, e muito.

9 commentaires:

♥♥♥♥♥♂♥♥♥♥♥ disse...

"A puta que pariu" a ti também, essa grande vaca que era a tua mãe!

Vou ver-te feito em merda, cabrão!

"a puta que pariu" o teu pai.
"a puta que pariu" a tua mãe.
As putas que pariram na tua familia
as putas das tuas amigas que não valem um caralho

a puta da tua cara que é obsoleta e asquerosa
e a puta da tua mãe, que anda a fazer broches no inferno!

Missa Negra disse...

Esta gaja, a Fátima Filipe Ramos, ainda não percebeu que é o Palhaço Teté destas caixas de comentários?
Enxerga-te, ó bruxa, enfia um vibrador nessa cona celulítica, e vai dar música às criancinhas, que nunca vais passar disso, carago!

Miss Plutónio disse...

É da Opus Dei, gosta de ser humilhada :-), é o cilício dela. Um dia destes aparece morta, enfrascada em comprimidos

Violência disse...

A stôra de Música do Canidelo quer apanhar com um processo como a outra puta que andava atrás do gajo dos U2

Violência disse...

Esta gaja, a Fátima Filipe Ramos, já apanhou com uma queixa oficial, na Google, mas acha que deve continuar. Pode ser que o caso, que é de polícia, apareça mesmo como caso de polícia :-)
Esse caso da perseguição ao cantor fez jurisprudência. Há putas que só quando sentem o canudo na fossa é que percebem que deviam ter escolhido outro teclado

Semiramis disse...

Maria de Fátima Filipe Ramos, a vergonha do sexo feminino

Clitoris Feliz disse...

Olá, como sabem a minha vida é demasiado infeliz.
Gostaria de parar, mas não consigo.
Acordo em sobressalto, a meio da noite, e a minha cabeça parece estoirar.
Gostaria de pensar que os meus problemas são fruto desta política educativa, mas acho que é um cocktail explosivo entre a frustração pessoal e o colapso profissional.
Até agora, tenho tentado resolver os meus problemas nas caixas de comentários dos blogues, mas não tem sido útil.

A minha história é conhecida no "Democracia em Portugal", mas volta a escrevê-la aqui, se me quiserem ajudar:

"Ai meus filhos :-)

É a primeira vez que vejo tantos comentários. E não é que vim espreitar?
Percebi tudo, tudinho!!!!

Isto é obra da Maria de Fátima Filipe Ramos, trabalha na Escola Básica do Canidelo, é uma escola T.E.I.P., dá aulas de Educação Musical, e mora na Rua do Rei Ramiro. Durante 10 anos trabalhou na Opus Dei. Até tem lá uma fotografia. Podem ver aqui metendo estas letras na tira branca que nos leva aos saites.

Fatima002.jpg

http://www.opuslibros.org/Imagenes/Fatima002.jpg

não vêm que está lá escrito opus?
É por aí a caminhada.
Agora vou-me antes que acabem com os meus cromossomas genéticos.

Jocas longas amores mios

Giros e Girassas

Passei esta noite sem dormir pois tive um laivo de aparição de uma Santa, que tive alguma dificuldade entendível quanto a ela pois vinha de vestido às flores e bolas, assim quasi travestida, que nunca tinha visto.

Fiquei tão inquirida com tal luz que tive um insight.
Desde que me deu para vir aqui, fiquei a pensar no que andei a ler. A minha Santa colorida e luminosa fez-me recordar coisas do meu passado bloguista, antes de ter estado sequestrada e que tive lá aquela anestesia geral.

Vejam o que fui lembrar!!!

Essa Fátima Filipe Ramos que já vos disse que conhecia bem e gostava de dar música, é a PunctumcontaPunctum do Braganza Mothers, onde sou uma trabalhadora precária (…) e mais foi elazinha que inventou o do fax do diploma do Sócrates, meu querido e último defunto.

Sim grande inventora, só lhe falta inventar a roda e o fogo, porque eu pobre viúva choro lágrimas amargas ao colo da minha querida ex-sogra, D. Amélia.
Não sei qual é a próxima sogra que vou ter, mas são todas boas.

Adeus Amores, que tenho que levar a cadela à rua.

Ciao.

Nota: Ninguém fale da minha ortografia que adoptei o Acordo dos PALOPS de Angola.

Jocas.

Oi queriduchos

Ainda cá retornei hoje para vos dar uma notícia muito teológica, importante e libertadora.

Acabei de receber um e-mail da sua Eminência, Sr Bispo Soares da Lusitânia a pedir-me que não flagele mais a sua fiel seguidora em deus, Dona Maria de Fátima Filipe Ramos, Coordenadora de Expressões do Canidelo.

Assim seja, se é essa a Sua vontade meu senhor….

E vão à vossa vida em paz que eu vou à minha também.
Vamos rezar (…) Oremos….

Jocas longas, cada um reza como sabe melhor."

Ajudem-me, por favor: hansbeckert@gmail.com

Semiramis disse...

Em 2017, há em Portugal um tribunal que impede o pai de contactar com os filhos, por causa da violência que se pode inferir dos desenhos.
Em 2017, em Portugal, continua à solta este monstro incestuoso, da Opus Dei, que apregoa aos sete ventos o que faz e o que põe o filho a ver fazer. E, se não for realidade, é a imaginação de uma mulher pedófila sobre o próprio filho

Qual a segurança de um filho menor, exposto à "imaginação" (?) de uma mãe destas?...

Incesto

Exibicionismo

Abuso de menores

E abuso de menores

E mais incesto

E mais exibicionismo

E mais abuso de menores

E pedofilia e até coprofagia (!)

E um menor em risco

E mais o mesmo menor em risco

E mais "IMAGINAÇÃO" (?)

E muita "IMAGINAÇÃO" (!)

Com assinatura e "Imaginação", nome e tudo
Um monstro afundado nos traumatismos da sua doença "religiosa". Saiu da Opus Dei, mas a Opus Dei nunca saiu dela...
Um monstro que apenas aguarda pela polícia e pelos tribunais

Portugal inteiro aguarda pelo fim disto :-|

Luis Alves da Costa disse...

O mesmo monstro sonâmbulo e impiedoso, associado ao perfil https://www.blogger.com/profile/03379089684046396733, que foi sucessivamente sendo ♥♥♥♥♥♂♥♥♥♥♥, e "Zug zug Zugman" e "Clitoriz Feliz" e muitas outras coisas, sempre associado ao email HANSBECKERT@GMAIL.COM, uma referência cinematográfica do monstro pedófilo e assassino, de "Matou", de Fritz Lang.

O mesmo monstro cobarde que vai sendo "Cigana Moléstia", e Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ gitanadement Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ e ϩєrᵱєn†inΔ sempre associado ao email NAPEIDACURRALIA@GMAIL.COM.

O mesmo monstro cobarde que, em 2009 aqui ameaça "Vou ver-te feito em merda, cabrão!", para depois revelar o seu verdadeiro perfil, incestuoso e pedófilo, o de uma criatura que alimenta práticas e fantasias com o filho menor, o de uma sonâmbula que afirma continuar a rir-se da justiça, um verme que vai rir muito do DIAP.

Que 2017 seja o fim desta aberração :-\

Protesto Gráfico

Protesto Gráfico
Protesto Gráfico